terça-feira, setembro 02, 2014


Bienal do livro | Compras literárias

5

Poesia, fantasia, romance e mistério foram algumas das minhas escolhas (de compra literária) na Bienal do livro deste ano. Apesar de ter visitado muitas editoras (♥), trouxe alguns exemplares (apenas) da Companhia das Letras, Novo Conceito e Farol Literário. Não conhecia esta última, e me chamou a atenção os títulos voltados à fantasia (trouxe ‘Névoa’ para casa, o primeiro livro de uma série). Acompanhem os títulos e aproveitem as dicas!

♥♥♥


Vocês já leram algum desses livros? Ficaram com vontade de ler qual exemplar?

[...] há montes de livros que não li, mas posso esperar. Livros não estragam. Não azedam como leite, que é preciso beber dentro do prazo de validade. (Karen Harrington, trecho do livro ‘Claros sinais de loucura’, página 105)


segunda-feira, setembro 01, 2014


Look do dia | Terra do Nunca

13

Algumas escolhas podem ser facilitadas. Muito do que acontece, diante de nós, é fruto do que 1) temos, 2) sentimos, 3) somos capazes de atingir com nossos próprios recursos ou com a ajuda de outras pessoas. Ao decidir por este ou aquele look, sou influenciada por esses aspectos. Apesar do estilo mais clássico, às vezes óbvio, tive vontade de tentar uma combinação de cores diferentes em um visual da semana passada.
Fiquei com uma vontade muito grande de usar um blazer preto para amenizar todas as informações do look, confesso. Mas é bom mudar. É interessante, sabe? A gente pode ajustar pequenas coisinhas para fazer nossos dias mais surpresos. Nesse look, optei por usar duas cores-destaque: azul e cor-de-rosa; Completei com elementos neutros para não pesar o visual: acessórios pretos e camisa branca (estampada, porém no tom da saia, o que facilita a combinação).

Combinações clássicas, fáceis, sem erro
• Preto e branco 
• Qualquer outra cor + preto (ou + branco)
• Preto (ou azul marinho), branco e vermelho

Combinações imprevisíveis
• Cores complementares: laranja + azul, verde + cor-de-rosa, amarelo + roxo, azul + cor-de-rosa
• Mix de estampas: listras + flores, bolinhas/ poá + flores

Saia tricô azul: Cecilia Prado (comprei na GetDress, aqui)/ Camisa: Romwe/ Blazer cor-de-rosa; Ankle Boot: Emme/ Colar: Nina Fiori/ Bolsa: Zara


De todas as ilhas deliciosas que existem, a Terra do Nunca é a mais aconchegante e compacta; não é grande e espalhada, sabe?, com aquelas distâncias chatas entre uma aventura e outra. É bem apertadinha. (J. M. Barrie, trecho do livro ‘Peter Pan’, página 19)

domingo, agosto 31, 2014


Resumo + Instagram da Semana

3


Eu gosto da solidão (de alguma delas). A solidão de-bem-comigo-mesma é a minha preferida, mas ela não me sustenta. A semana que terminou, no entanto, foi mais um lembrete mental sobre o quanto sou dependente de algumas pessoas (/coisas). Em alguns casos, maravilhoso (em outros, nem tanto). Semelhantemente ao que acontece com muita coisa, é preciso dosar. A quantidade de dependência, e a de solidão. Vamos retomar os posts dos últimos dias?




Instagram da Semana @blogjustcarol
Gentileza e Starbucks* Aniversário do John Green! * Bienal com a Bru!!

Decoração alimentícia! * Sobre a Bienal: Ziraldo fofo * Terra do Nunca♥


Música da semana



sábado, agosto 30, 2014


Pensamento do Dia | Uma palavra amiga

2


[Alguém te perguntou como é que foi seu dia?]
Imagem: Florauhly

A última pessoa que devia estar me passando sermão por causa de paquera é Emma. Mas ela tem razão. Eu nem perguntei se ela estava bem hoje. Nós dois estamos tentando entender tanta coisa, mas eu só estava preocupado com a minha própria vida. (Carolyn Mackler; Jay Asher, trecho do livro ‘O futuro de nós dois’, página 234)


sexta-feira, agosto 29, 2014


A comunicação em tempos de águas escassas

0

Ilustração de Valfré

29 de agosto de 2014

O que a gente sabe sobre a falta de água, em parte, é fruto da comunicação dentro dos variados meios a qual estamos inseridos. É assim com quase tudo: solidariamente ou não, passamos adiante aquilo que ouvimos daqueles que ouviram dos que testemunharam outros ouvindo de que uma catástrofe está dando as caras.

O problema é que, quase sempre, temos um mar diante de nós – o fluxo de informações é muito grande e mais nos naufraga do que nos orienta. Informações interessantes, redundantes, atrasadas, irrelevantes e inovadoras navegam juntas. Olhar o horizonte, jogar a âncora – ou, em linguagem mais clara, focar em metas e prioridades – torna-se um desafio diário: dentro de casa, no escritório e, basicamente, no repasse, na prática e difusão das informações.

Mais do que nunca, todos nós podemos escolher os barcos com qual navegar. Twitter, facebook, site, blog, instagram e tantos outros recursos estão disponíveis para serem um canal que liga as nossas palavras ao mundo. Somos agentes de transformação e opinião pela comunicação facilitada. Ainda assim, o exercício de checar fontes, difundir ideias, anunciar propostas e desenvolver estratégias deveriam andar em linha com a abundância de recursos tecnológicos e informativos. Mas, em nosso cotidiano e em todas as relações possíveis, ouvimos e repassamos ‘mais do mesmo’. Em linhas gerais, somos escassos.

Falta água, falta comunicação (mais prática e efetiva), mas não falta informação. Eu fico imaginando se o descontrole hídrico, em nosso ‘mar de notícias’, é  apenas descuido com diálogo, engajamento e atitude. Em tempos de águas escassas, se não praticarmos as facilidades e as competências da comunicação, onde estaremos nós?



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...