sexta-feira, agosto 22, 2014


Sexta-Fashion: Book do dia — A moda literária

4

Nós sofremos - também na moda - uma série de influências que determinam (aos pouquinhos) o nosso estilo. Às vezes, isso se dá de forma muito natural (e decidida!); Outras vezes, nem tanto. É que a maneira de se vestir, no fundo, tem relação com um compilado de coisas: nossas percepções, preferências (conforto, estampas, cores) e gostos.
Sem muitas regras ou amarras *vamos esquecê-las, hoje!*, preparei algumas inspirações (e exemplos) de como a literatura pode abrir a nossa mente à looks descontraídos e interessantes, cheios de frases ou metáforas estampados em camisetas, acessórios ou mesmo nas unhas (!). ♥ 
Moletom The Great Catsby (aqui e aqui) 


O que mais influencia o seu jeito de se vestir?

[...] há montes de livros que não li, mas posso esperar. Livros não estragam. Não azedam como leite, que é preciso beber dentro do prazo de validade. (Karen Harrington, trecho do livro ‘Claros sinais de loucura’, página 105)

quinta-feira, agosto 21, 2014


Agosto | O que você anda lendo?

1

O projeto #LeituraJC, que integra os leitores do blog (através do instagram), marcando e sugerindo livros a partir do que eu e vocês estamos lendo, tem sido uma oportunidade incrível de ficar mais pertinho de vocês. Esta edição inclusive conta com o trechinho de um relato que recebi da leitora Maria Paula, de Minas Gerais. Em pleno mês pós férias, as leituras andam à mil! Agosto ganhou destaque pelos livros ‘Sherlock Holmes’ e ‘A Lista de Brett’ (que apareceram mais de uma vez) e *claro!* o John Green que, entra mês e sai mês, está sempre por aqui! Está precisando de indicações para comprar na Bienal do livro? Calma aí, a gente te ajuda... ♥






Sherlock Holmes*
(*) opinião da leitora Maria Paula
Autoridade mundial no assunto, Leslie S. Klinger dissipa aqui todas as brumas que ainda envolviam os casos de Holmes e Watson, compondo, com seus esclarecimentos, uma obra definitiva. Sem dúvida, um bem precioso para fanáticos sherlockianos e também para os que querem começar a se aventurar nesse fascinante mundo. Inclui mais de 600 notas, muitas baseadas em fontes recentemente descobertas; Cerca de 200 ilustrações, incluindo as de Sidney Paget, e fotografias retratando a vida cotidiana na inglaterra vitoriana e eduardina; Introdução de John Le Carré; Biografias abrangentes de Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes e Watson. É um livro com histórias espetaculares. Os detalhes são muito bem contados e os contos são leves e bem rápidos (...). Sherlock holmes diz que os vilões não têm criatividade para fazerem bons crimes mas, antes, ele tinha prazer de resolver crimes complexos. Hoje, ele vê probleminhas fáceis e rapidos de se solucionar. A história te prende muito. Eu adorei o livro, Sherlock me encantou. É, com certeza, um grande detetive que ficará marcado por vários anos na história. 

O que a blogueira anda lendo?



O que vocês andam lendo pós-férias? Já leram ‘Sherlock Holmes’ ou ‘Se eu ficar’?

Algumas vezes você faz escolhas e algumas vezes escolhas fazem você. (Gayle Forman, trecho do livro ‘Se eu ficar’)

quarta-feira, agosto 20, 2014


O príncipe encantado é a família que todos gostaríamos de ter

3


(*) Uma reflexão de como o filme Frozen 
se encaixa nos contos de fadas modernos. 
Contém spoilers do filme.


Acrescente o gato e o papagaio, porque o novo príncipe encantado é a família que todos gostaríamos de ter. Sem spoilers ou prévia do próximo capítulo: em uma sociedade cujos valores éticos e morais (no campo social ou sozinho dentro de quatro paredes) são amplamente questionados, queremos menos príncipes em cavalo branco e mais autossuficiência. Talvez a noção de amor verdadeiro esteja mesmo mudando...

As princesas da atualidade não são frágeis, indefesas e dependentes do amor pelo príncipe: estão mais para guerreiras, ‘Fionas’ (que, por acaso, é sim uma princesa e tanto, mas autenticamente diferente das clássicas ‘Disneys’ que vemos por aí) e donas de si. 

Eu notei quando parei a minha noite de sábado gelado para assistir a congelante animação Frozen. Eu poderia ter ficado fria pra caramba, devido às circunstâncias, mas, ao invés disso, ganhei pensamentos acalorados. ‘Tem alguma coisa mudando aqui’. É que, antes disso, eu havia assistido ‘Malévola’ com a belíssima Angelina Jolie. E antes de mim, ao que parece, um monte de gente deve ter apostado no (inevitável?) desvio de rota: o caminho para a satisfação pessoal (e, posteriormente, o valor da família).

‘Frozen – Uma aventura congelante’ é uma animação da Disney que, neste ano, venceu na categoria de Melhor Filme de Animação nos Prêmios Globo de Ouro de 2014, e ganhou o Oscar de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original. Let it go.

Na trama, Elsa, filha mais velha do rei e da rainha de Arendelle, possui poderes mágicos. Desde que nasceu, a princesa detém a capacidade de fazer neve ou gelo ao menor toque e gesto. O descontrole da tal habilidade a faz permanecer reclusa (em seu quarto) durante anos, separando-se de sua irmã Anna, dentro do mesmo castelo (‘Você quer brincar na neve?’). Quando os pais das moças falecem, Elsa ganha uma festa de coroação e, junto dela, uma fria mazela. Por descuido, acaba condenando o reino de Arendelle a um inverno eterno.

Anna, a mais nova, é uma jovem inocente e otimista. Elsa, a que se torna rainha, é mais fria e racional. Juntas, formam as figuras de mulheres independentes e bem entendidas dos contos modernos: a vida nossa de cada dia. As trapalhadas de Anna reforçam, em nós, a ideia de escolher, projetar e planejar o futuro criticamente (principalmente ao que diz respeito ao coração), enquanto Elsa nos traz um monte de ensinamentos (pouco gelados e, no entanto, muitíssimo válidos).

Essa última personagem carrega o poder que a diferencia dos demais - condição que acaba por se tornar ‘um fardo’ baseado em três aspectos que se amarram à autoestima: o medo, o controle e a segurança. Sabendo lidar com as ‘coisas da cabeça’, que são mais fáceis, dá para proteger o coração, ela mais tarde entenderia. O coração é sempre mais difícil.

Entretanto, em meio aos males, Elsa torna-se livre no auge do medo e do descontrole (se uma porta se fecha aqui... Você deve imaginar o resto). A sua pretensão, no caso, é tornar-se ‘forte’ e guerreira o bastante para aceitar a si mesma (e a sua condição ‘natural’: o tal poder). A felicidade não está no príncipe: está na capacidade de poder governar o seu próprio nariz e, mais tarde, resgatar alguns valores que ficaram para trás. A família. Um grande amor, afinal, é mera consequência. E dádiva.

Alguns empurrõezinhos surgem adiante: o descontraído Olaf, um boneco de neve criado por Elsa, ajuda a entender o conceito de amor e a necessidade de se prender a valores concretos que representam mais segurança do que o ‘final feliz’ junto ao bonitão em cima do cavalo branco.


Para quem assiste ‘Frozen’, fica - talvez um dos maiores ensinamentos - o necessário para buscar, ao longo da vida, a chance de encontrar o amor verdadeiro: ‘Amar é colocar a necessidade do outro na frente da sua’. Eu arriscaria dizer que satisfação pessoal, liberdade e segurança caminham lado a lado para transformar o eterno inverno em calorosa união familiar. E, se você acha que eu não curto clichês, espere até chegar a conclusão de que, mesmo sem sapatinho de cristal ou fadas madrinhas, dependemos do óbvio para ter uma vida pé no chão. ‘Só o amor é capaz de aquecer os corações’.




terça-feira, agosto 19, 2014


Dica | Meus 5 aplicativos de fotografia preferidos

6


Trânsito, café da manhã, pôr do sol, denúncia, academia, uma árvore bonita no meio do caminho: nunca foi tão fácil compartilhar a rotina e os momentos simples ou especiais. Selfies e groupies que o digam! Para celebrar o dia [19 de agosto] mundial da fotografia, separei os aplicativos de fotografia que mais uso - para corte, ajuste de cores e efeitos com frases e ícones. Para acompanhar meus clicks [amadores] diários: instagram @blogjustcarol. ♥

VSCOcam
Meu aplicativo preferido de fotografia. O VSCOcam possui uma série de efeitos (e tons) sutis para as fotografias, permitindo um resultado bem ‘sóbrio/ clean’, além das ferramentas mais básicas: corte, ajuste de contraste, saturação, briho... 
Descrição: VSCO Cam é o caminho principal para filmar, editar e compartilhar suas fotografias. 
Valor: Gratuito
Download: Google PlayiTunes

Lumiè
Corações, confetes, estrelas e brilhos. O Lumiè permite adicionar uma série de efeitos personalizados que lembram áreas fora de foco e distorcidas, produzidas por lentes fotográficas.
Descrição: Primeiro app criado para aplicar Bokeh em fotos!!
Valor: USD 1.99
Download: Google PlayiTunes

Giddyology
Este aplicativo te permite acrescentar ‘balõezinhos’ que lembram notificações nas imagens. Apesar de o app ter versão (apenas) em inglês, é bem fácil usar. Algumas opções (como cores diferentes do ícone e desenhos de bandeiras) são pagas (!).
Descrição: O aplicativo permite que você adicione instantaneamente um ícone divertido.
Valor: Gratuito
Download: Google PlayiTunes

InstaSize
Aplicativo que te permite compartilhar, no instagram, imagens em variadas proporções. O InstaSize deixa uma espécie de borda na fotografia, que pode ser deixada em branco ou em cores diversas. Esse app também tem ‘adesivos’ e outras ferramentas para incrementar a imagem.
Descrição: Publique fotos inteiras no instagram sem cortar!
Valor: Gratuito
Download: Google PlayiTunes

Photofy
O aplicativo possui uma série de adesivos, ícones, palavras e frases prontas (são muitas opções!) para deixar a imagem mais criativa e divertida.
Descrição: Um aplicativo de autoexpressão que permite que você seja criativo adicionando seu próprio toque original às fotos.
Valor: Gratuito
Download: Google PlayiTunes
Imagens: Carolina Barboza/ Blog Just Carol

Vocês usam aplicativos de edição de imagem? Curtem fotografar?

A fotografia é uma forma de ficção. É ao mesmo tempo um registro da realidade e um autorretrato, porque só o fotógrafo vê aquilo daquela maneira. (Gérard Castello Lopes)

segunda-feira, agosto 18, 2014


Fernanda França volta a adoçar viagens e aventuras em ‘Bolsas, beijos e brigadeiros’

6

O doce romance ‘Bolsas, beijos e brigadeiros’ de Fernanda França foi lançado oficialmente no último sábado (16) em Campinas, na livraria Fnac. O terceiro livro da Fernanda, jornalista e escritora, remete ao título anterior ‘Malas, memórias e marshmallows’ (por trazer novas aventuras aos personagens). Apesar disso, as publicações são independentes e podem ser lidas, portanto, separadamente.

O BBB (não aquele! O ‘Bolsas, beijos e brigadeiros’!) é publicação da editora Planeta e ganhou mais sabor com os brigadeiros da Carol Melo doces durante o encontro de lançamento.

‘Bolsas, beijos e brigadeiros’ conta sobre uma nova fase da vida da jornalista Melissa, que escreve sobre suas aventuras em belas e curiosas cidades do mundo. Agora, a jovem viaja à Europa em busca de cenários para as suas matérias e também de suas raízes italianas. Em meio à jornada, Melissa precisa lidar com a distância dos familiares (principalmente de sua mãe) e dos misteriosos sumiços de seu namorado.

♥ Lançamento de ‘Bolsas, beijos e brigadeiros’ ♥
Fernanda França e seu fofíssimo filho que não largava os gibis da Turma da Mônica ♥ Um amor!
Sim, o meu *irmãozinho* é mais alto que eu... rs ♥

Conhecem algum dos livros deste post? Vocês já leram algo de Fernanda França? 

Em uma vez que você morou longe pelo menos uma vez, sempre haverá saudade em seu cotidiano, de alguém que ficou no seu país ou de algum amigo que você deixou no país que conheceu. (Fernanda França, trecho do livro ‘Malas, Memórias e Marshmallows’, página 224)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...