segunda-feira, outubro 20, 2014


Diário de fds | De Laço rosa à Free Beats

3


Festival de música, fotografia, corrida, causa nobre. Separei alguns registros do último fim de semana para deixá-los bem pertinho de mim! Transformei a miscelânea em post e algumas histórias para contar...

Corrida / caminhada Laço Rosa
A campanha de prevenção e combate ao câncer de mama ganhou mais um evento em Campinas. Em parceria com a 3M do Brasil, foi realizada nesse domingo (19) a primeira edição da Corrida / caminhada Laço Rosa.
*Campanha especial do chargista Dalcio Machado para o Correio Popular*

Look
O kimono tem sido uma das tendências mais comentadas da estação. Versátil e alegre, a peça combina com calças e vestidos. Nesse fim de semana, resolvi usá-lo com shorts jeans. Como o kimono é chamativo (por ter estampa floral + franjas) e o short também (em virtude das aplicações de tachinhas), completei o look com peças neutras: camiseta branca e acessórios pretos para equilibrar. O kimono é da C&A.

Free Beats: Parada musical
Clássicos da música brasileira, rap, novidades da música eletrônica... Uma única edição do Free Beats reúne tudo isso com um simples intuito: levar música de graça a um número de pessoas de estilos e gostos diferentes. 
Através de ocupações inusitadas pela cidade de São Paulo, o projeto dissemina a arte freestyle, o estilo livre da composição do DJ, ocupando praças no centro da cidade e edifícios históricos (sempre fora do circuito tradicional e comercial de clubs). A Free Beats, agora, segue abrindo novos espaços fora de São Paulo, formando plateias e democratizando música e cultura de forma gratuita e livre de rótulos. Nesse domingo, eu  e a Aline (prima♥) acompanhamos o festival em Campinas, na Concha acústica da Lagoa do Taquaral.

Diz muito
Registros que guardam lembranças, conversas e viagens = ♥ Essa foto (abaixo) daria uma crônica ou... Uma breve história com muitas metáforas e algumas risadas. Em algum momento eu provavelmente a contarei para vocês (!). Essa sinalização me lembra Estados Unidos, intercâmbio, road trip e muitas saudades.
I ♥ road trips

A cidade de vocês recebeu alguma campanha e evento referente ao combate do câncer de mama? Já usaram kimono?

A culpa é da vida, isso mesmo. Da vida. A vida acontece todos os dias, independente do que você deseje ou queira. Mesmo que você se feche para mundo, ela ainda vai acontecer. (Isabela Freitas, trecho do livro ‘Não se apega, não’, página 83)

domingo, outubro 19, 2014


Resumo + Instagram da Semana

2


Calor (escassez hídrica em São Paulo, eventualmente) e eleições acionaram um botão em nós para – ao que parece – ‘nunca mais’ desligar. É que fala-se disso como se, de repente, fosse todo o assunto da vida (e não é que são mesmo?). Não acho ruim, mas sinto falta de debates e conversas mais pacíficas do que as experiências que tenho presenciado (sabem? Essa coisa de defender um candidato até o fim ao invés de trocarmos conhecimentos). É engraçado porque, dentro de nós, somos intermediadores de inúmeros debates (físicos, emocionais e espirituais). Um deles, especialmente nesta semana, foi a gentileza; Um tópico contado em forma de crônica no post de segunda-feira. O que mais vocês têm debatido? Vamos rever o que rolou por aqui nos últimos dias?
Segunda-feira: Crônica | Gentil por nada 
Quinta-feira: Resenha: Pó de Lua 


Instagram da Semana @blogjustcarol 
Almoço e leitura * Rabiscando * Pensamento do dia!

Trabalho de faculdade♥ * Família que a gente escolhe * Participação no Ilustra Day

Resenha literária da semana * The cat in the hat! * Trabalho gastronômico para a faculdade


Música da semana


sábado, outubro 18, 2014


Pensamento do Dia | Amadurecimento

1


[os anos fazem isso com a gente: adicionam asas e cores]
Imagem: We ♥ it

Sofrer é poesia. Inspira. Quem sofre pode se renovar. É como a transformação da lagarta em borboleta. Tudo começa com um ovo de borboleta que é posto em uma folha de árvore. Desse pequeno ovo sai uma lagarta que, pouco a pouco, vai tecendo seu casulo com os fios de seda que produz. Ela precisa se esconder de tudo e de todos. Precisa de um tempo. A lagarta permanece dentro desse casulo, frio e seco. Preparada para cair. Demora semanas, às vezes até meses, mas esse casulo se rompe. E de lá sai uma linda borboleta, pronta para impressionar quem quer que a veja com seu brilho e suas cores vivas. (Isabela Freitas, trecho do livro ‘Não se apega, não’, página 181)

sexta-feira, outubro 17, 2014


Aqui entre nós: quero ser blogueira

6

Criar, gerenciar e atualizar um blog pode ser tarefa complicada e, apesar disso, cresce o número de pessoas interessadas em ter um espaço na internet para ‘chamar de seu’. A popularidade dos blogs trouxe, consigo, um novo apelo: os talentos e as pessoas que, além de aproveitarem o conteúdo facilitado da internet, desejam seguir o mesmo caminho que tantas outras escolhem: o ‘ser blogueira (o)’.

Para mim, a chave da criação e manutenção de um espaço online - site, blog, twitter, fanpage... - está atrelada a três aspectos fundamentais: o conteúdo, a identidade visual e o público alvo.

• Foque no conteúdo: um bom site busca dicas e informações diferenciadas, que consiga atrair o gosto do público pela funcionalidade e utilidade.

• Visual e fotografia: além da importância de estabelecer temas e conteúdos interessantes é necessário cuidar da identidade visual do blog ou site - investir em fotografias e artes que representem, visualmente, aquilo que se fala. O apelo à arte (cores, layout, logotipo, imagens que serão inseridas no post) são elementos muito importantes de ‘atração’ (sendo, muitas vezes, o ‘cartão de convite’ ou ‘porta de entrada’ para o site/ blog).

• Quem me lê?: descobrir o público alvo (e estar próximo dele) é uma maneira de evoluir. Dialogando com os interesses e as sugestões de quem segue o seu trabalho é possível tirar ideias para qualificar o conteúdo - focar em temas que têm boa aceitação, modificar TAGs, investir mais (ou menos) em um assunto...


Para auxiliar essa caminhada, a produtora de conteúdo da Farfetch (empresa global que reúne mais de 300 Boutiques), Laryssa Mariano, produziu um infográfico com ‘dicas infalíveis’ para quem pretende ‘soltar a voz (!)’ em um espaço próprio na internet. Afinal, o que as blogueiras têm a dizer àquelas que desejam criar o seu próprio canal de informação? Acompanhem as dicas! ♥ 
Infográfico// Farfetch


O que vocês mais gostam de ver e ler em um blog? Qual seria a sua dica infalível de blogueira(o)?

Deu-lhe uma razão para ela escrever suas próprias palavras, para ver que as palavras também lhe tinham dado vida. (Markus Zusak, trecho do livro ‘A menina que roubava livros’, página 455)


quinta-feira, outubro 16, 2014


Resenha: Pó de Lua

6


[Algumas [solidões] não precisam ser sozinhas. Outras são só minhas. -página 81]
Título: Pó de Lua
Autora: Clarice Freire
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 192
Classificação pessoal: ♥♥♥♥♥ (muito bom)
Assuntos abordados: amor, saudade, dor, medo, alegria
Ideal para ler... Aos poucos, entre intervalos do dia e fim de semana, para captar as metáforas, sutilezas e poesias.
Um pouco de luz onde há escuridão. Uma noite ouvi falar que a lua era bela porque mesmo sendo só areia deixava refletir a luz de outro e, por isso, nossas noites são tão escuras. (página 187) Detalhes rotineiros ganham forma e palavras em ‘Pó de lua’, livro no formato de um caderno moleskine semelhante ao que a autora usa para registrar a sua arte. A edição reúne os trabalhos de Clarice, que eram inicialmente compartilhados pela página no facebook de mesmo nome. 


A autora e publicitária recifense Clarice Freire, 26 anos, trata da arte com sabedoria: em traços finos e delicados, transborda sentimentos. As poesias contidas no livro são resultado de um trabalho bonito de jogo de palavras, humor, sentimentos e sensações. Os desenhos e a diagramação contribuem para dar sentido aos pensamentos e às poesias... A maneira como Clarice desenha e escreve faz a diferença pelo resultado em conjunto dos traços, sentimentos e caracteres. Um lugar para escrever desenhando. Com a ausência de peso, as palavras flutuam entre objetos que viram pessoas, pessoas que viram palavras e palavras que viram poesia cheia de delicadeza, mesmo nos lugares - e corações - mais pesados. (página 187)
Já fui inteira, sabia? Cheiamente RADIANTE. Era clara, quase dia. Hoje me deito MINGUANTE. Não me acanho em assumir a minha veia SAUDOSA. Sinto a radidez do tempo trocando aqui dois dedos de PROSA. (página 151) O livro é dividido em quatro partes: as fases da lua - minguante, nova, crescente e cheia, onde discorrem-se temas como o amor, a dor, saudade, o medo, a alegria, diferentes pontos de vista, o tempo, as estações do ano... ‘Espaço para divagações, ações para divagar a mente aberta. Todas poeticamente tentadas’, como a própria Clarice bem lembra. Cansaço é tentar de novo e tudo continuar velho. (página 45)

♥♥♥

Abra ‘Pó de lua’ (e o coração!) para sentir um pouquinho da paz e do conforto dessa leitura. O que vale, aqui, é descansar na poesia, repousar os olhos nas cores e deixar que o pó de lua clareie os seus sentidos. ♥
Alguns 
DÃO 
durezas 
outros 
{ALGO
DÃO}
(página 24)

Vocês conhecem o trabalho da Clarice? Já ouviram falar no ‘Pó de lua’?

Tenho coisas tão gritantes a dizer que elas me calam. (Clarice Freire, trecho do livro ‘Pó de Lua’, página 33)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...